NOS BASTIDORES DO VDM: Andamos mais de 4horas direto atrás de um microfone...

NOS BASTIDORES DO VDM:
Marginal Tietê em São Paulo/SP

Hey galerinha!! Td certinho?

Bom, cá estamos, felizes da vida com o primeiro post (fora o de apresentação) da nossa coluna \o/ !! E eu, @caio_gattuso, decidi começar dando uma de Vovó Mafalda e contando uma das historias que a galera da produção protagonizou durante esses meses de #VDM! Então vamos começar...

O cenário é tenso, um emaranhado de adolescentes amontoados empurrando uns ao outros embaixo de um sol que só tava ali para tornar aquele “calor humano” um verdadeiro fogo do capeta! E no meio daquele formigueiro humano, vestindo suas indispensáveis credenciais (aquilo vale ouro rs) e carregando uma mochilinha rasgada, encontra-se a adorável produção #vdm!

(Galera, quem leu até aqui e costuma freqüentar as matines já sacou de onde seria nossa próxima transmissão certo?)

Voltando...

Depois de quase meia hora pra conseguirmos entrar (pingando literalmente) e fomos direto para o camarote, de onde transmitimos a maior parte do programa na radio. (pra quem não sabia, todo sábado, a partir das 16 hs o vdm tem um programa em parceria com a cyberadio!)

Computador ligado e skype logado, daí é so começar o programa. Massss...a porcaria do microfone não estava funcionando =O . Sem termos outro (nem mesmo a casa tinha um) e sem pensar muito fomos eu e o nosso querido repórter/blogueiro @diego_magno na fúria atrás de um para comprar. Saímos da balada com sangue nos olhos atrás de uma lojinha q seja que vendesse um simples microfone. Andamos...andamos...andamos.

O engraçado é q a lojinha não chegava. Sem muito tempo a perder e com o juízo já perdido, decidimos nos jogar na loucura de uma marginal Tietê atrás de algo que nos ajudasse naquele momento. Não demorou muito para nossos olhos brilharem com o letreiro que dizia Wall.Mart!

Entramos correndo, e eu posso jurar que vi lagrimas rolarem dos olhos do querido Diego.(ele nega obvio!)

Mas alegria de pobre dura pouco e logo vimos que la vendia-se webcam, fones de ouvido, teclados e até um mousepad do Pikachu bebendo cerveja menos a porcaria de um microfone!

Como bons brasileiros e como a necessidade de um mic era grande, não desistimos facilmente. De volta a marginal (agora já escuro pois já tinham se passado 2 horas) continuamos em busca do tal microfone que pra nos tinha se tornado o Santo Graal!

Andamos mais 30 min. e novamente vimos nossas esperanças se renovarem. Se via ao longe mais um supermercado (se bem me lembro era um Carrefour). Andamos cantarolando de felicidade até ele, crentes de que lá sim, teria um microfone. Risos em vão. Nada de microfone. Tinha de tudo novamente, menos um maldito microfone! O clima era de fracasso, decepção... Nosso repórter Diego já não tinha forças para continuar a jornada. Confesso que também tive meus momentos de fraqueza, sem saber até onde iríamos para encontrar um simples microfone.

Mais uma vez andamos. Dessa vez calados, cada um lutando com sua própria dor, contra o vento que não dava trégua e contra as bolhas que se formavam nos pés.

Finalmente, após 4 horas de uma caminhada interminável, avistamos uma luz, a mais bela luz que eu tinha visto ate então! E dentro daquela bela luz, estava escrito a doce palavra EXTRA!

Fomos até lá, empolgados mas com receio de nos manifestar cedo demais. Meio perdidos, procuramos a sessão de informática. De primeira não avistamos o que fomos buscar. O medo já estava tomando conta. Essa seria a nossa ultima tentativa. Não é possível que não se venda mais um microfone pra computador. Eu já estava pensando na carta mal educada que iria mandar para cada um desses supermercados quando de repente, bato o olho numa prateleira escondida e lá avisto o nosso objeto de desejo.

Lindo, perfeito e baratinho! Era ele mesmo quem nos queríamos. E levamos.

Na volta não tínhamos condição de voltar andando, afinal foram 4 horas de caminhada.

Resolvemos pedir informação para umas pessoas que estavam por perto e elas nos disseram qual ônibus tínhamos que pegar para voltar. A melhor parte foi q eue parou na porta *-*! Bom, microfones em mãos, tínhamos 2 horas só de programação e não dava para perder tempo. Tirando algumas falhas adivinha aonde (é, no microfone ¬¬) a transmissão ocorreu muito bem e os nossos ouvintes puderam ouvir o famoso jargão do Diego “Cooooooncerteza Garrido!”.

Foi perrengue, muuuuiiito perrengue... tanto eu quanto o Diego ou qualquer outro membro da nossa equipe faria tudo de novo só para dar a vocês o melhor conteúdo e as melhores coberturas! Saber que vocês estão gostando é o que nos deixa feliz.

Gnt, acho que vou parar por aqui se não acabo escrevendo um livro! Espero que tenham gostado da historia de hj e POR FAVOR COMENTE! Bjao galerinha! Ate a proximaa!

ps: começamos a filmar os bastidores. Em breve alem de ler vcs poderão assistir *-* !


POSTADO POR: @Caio_Gatusso

2 comentários:

thais disse...

Estou dando muitaa risadas com o primeiro post sobre os bastidores , pois afinal eu tbm faço parte de alguns deles , hahahahahah =D
Esse dia eu nãoo estava , ufaa !!! hahhaha
Mais é muito legal saber como a nossa equipe LUTA pra transmitir a radio ao vivo pra todos vocês custe o que custar com muita seriedade e carinho !;*
Nós bastidores damos muitas risadas , as vezes os imprevistos se tornam comicos ! haha
E é assim em clima de alegria e descontração , que trabalha o VDM ! =D
"Cooooooncerteza" vocês irão adorar os proximos posts ...
Um beijaum pra toda equipe e galera que acompanha !
@tha_loiira

Diego disse...

nossa quando eu lembro disso dou mo risada kkk

Postar um comentário

 

Copyright 2010 All Rights Reserved Vida de Moleque by BrunoLopez e Diego Magno